Publicado por: glauciorocha | 15/04/2009

Arquitetura do Live Migration

O Live Migration do Hyper-V™ foi projetado para mover as máquinas virtuais em execução sem nenhum impacto sobre a disponibilidade da máquina virtual para os usuários. Ao pré-copiar a memória da máquina virtual que está sendo migrada para o host físico de destino, o Live Migration minimiza a quantidade do tempo de transferência da máquina virtual. Uma migração instantânea é determinística, significando que o gerenciador ou o script que inicia a migração instantânea pode controlar qual computador será o destino da migração instantânea. O sistema operacional convidado na máquina virtual que está sendo migrada não sabe que a migração está acontecendo; então, nenhuma configuração especial é necessária para o sistema operacional convidado.
Requisitos
O Live Migration do Hyper-V™ tem muitos requisitos similares ao Quick Migration do Hyper-V™. Para as empresas que já usam o Quick Migration, a troca para o Live Migration deve ser simples. Os hosts físicos que participarão da migração instantânea devem ser configurados com os Serviços de Clustering Failover da Microsoft como um Cluster Failover e devem usar o armazenamento compartilhado. Além disso, os hosts físicos devem usar o mesmo tipo de processador. Por exemplo, para usar o Live Migration para mover uma máquina virtual de um host físico Hyper-V™ para outros, ambos os hosts físicos devem usar processador(es) de um mesmo fabricante. Deve ser observado que não há diferenças nos requisitos de armazenamento entre o Quick Migration e o Live Migration. Confira a lista completa dos requisitos do Live Migration do Hyper-V™:

 O Live Migration do Hyper-V™ é suportado nas seguintes edições do Windows Server 2008 R2:
                 o Windows Server 2008 R2 x64 Enterprise Edition
                 o Windows Server 2008 R2 x64 Datacenter Edition

 O Live Migration também é suportado no Microsoft® Hyper-V™ Server 2008 R2

 O Clustering Failover da Microsoft deve ser configurado em todos os hosts físicos que usarão o Live Migration

 O Clustering Failover suporta até 16 nós por cluster

 O cluster deve ser configurado com uma rede dedicada para o tráfego do Live Migration

 Os servidores hosts físicos devem usar um processador ou processadores do mesmo fabricante

 Os hosts físicos devem ser configurados na mesma subrede TCP/IP

 Os hosts físicos devem ter acesso ao armazenamento compartilhado

Recomendações e Observações:
 Um volume compartilhado clusterizado é recomendado para o armazenamento de máquina virtual em um cluster onde o Live Migration será usado.

 O recurso Live Migration pode ser ativado a qualquer momento entre qualquer dos dois nós de cluster. Isto significa que um cluster suportará <número de nós/2> migrações simultâneas. Por exemplo, um cluster de 16 nós suportará 8 migrações simultâneas com não mais que uma sessão de Live Migration ativa de cada nó do cluster.

 Uma conexão Ethernet de 1 Gigabit dedicada é recomendada para a rede do Live Migration entre os nós de cluster para transferir o grande número de páginas de memória típicas de uma máquina virtual.

 As configurações de cluster que foram validadas pelos fabricantes podem ser encontradas através das listagens no programa FCCP sob o título “A Política de Suporte da Microsoft para os Clusters Failover do Windows Server 2008” em:

http://support.microsoft.com/default.aspx?scid=kb;EN-US;943984

Abraços,

Glaucio Rocha


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: